Conciliar maternidade e carreira profissional: é possível?

A maioria das mulheres passa por esse momento desafiador em suas vidas: lidar com a dificuldade de retornar ao trabalho e deixar seu bebê em casa com babá ou em creche. Algumas enfrentam até mesmo crises de identidade e depressão pós-parto.

Muitas mães lidam com o ápice do estresse ao ter que lidar com a dupla jornada, e ter decisões difíceis para tomar tanto em casa quanto no trabalho. É a contínua preocupação em ser uma boa mãe e, ao mesmo tempo, ser bem-sucedida profissionalmente.

Sensação de vínculo imediato, hormônios em transmutação no corpo, saudade do filho. E para as mães de primeira viagem há o medo do desconhecido. Mesmo sendo um período de profundas mudanças é o mais importante na vida de uma mulher. Foi-se o tempo em que ser mãe era motivo para desistir de uma carreira bem-sucedida. Hoje as profissionais sabem que a maternidade potencializa as competências e ajuda na gestão de carreira e negócios.

O mais importante é não sentir culpa por deixar o filho aos cuidados de outra pessoa, culpa por ficar longe durante o dia, culpa até por querer continuar a profissão. O desafio agora é reconhecer que abrir mão do trabalho pode significar insatisfação profissional futuramente. O essencial é a qualidade do tempo que a mãe terá com sua criança – e não a quantidade. Assim como a maternidade, a carreira também faz parte dos seus sonhos. É possível ser incrível nos dois!

Lembre-se que você não é a primeira mãe a passar por isso nem será a última. Converse com outras mulheres que também tenham dupla jornada. Se for possível, busque acompanhamento psicológico. Não é vergonha não se adaptar no retorno ao trabalho: respeite seu próprio processo.

Esse é só o começo, as fases mudam e as dificuldades também. Mas a saudade sempre permanece.


Publicado por
Em 17 de maio de 2019

Escrever um comentário

Maternidade e trabalho: inspiração de mães que empreendem

A chegada do filho na vida da mulher pode ser uma fase muito intensa. É o momento onde encontra novas perspectivas de vida, o olhar se expande para outros objetivos e outros horizontes. É quando a mãe decide se retorna ou não ao emprego após a licença-maternidade. É nesse momento que o empreendedorismo passa a ser uma necessidade e um empurrão para se reinventar.

Já são mais de 7,3 milhões de mulheres empreendedoras no Brasil, segundo dados do Sebrae. Mais de 70% são mães e encontram, nos seus negócios, uma maneira de conciliar família e trabalho. Uma coisa é certa: para aquelas que desejam continuar trabalhando mas não abrem mão de ficar perto dos filhos, o home office é o trabalho perfeito. Só é preciso lidar com a nova rotina na hora de empreender.

A principal dica para começar seu negócio é o planejamento, tanto da rotina de trabalho quanto a dos filhos, e então conseguir conciliar as duas jornadas. Essa liberdade que do home office pode trazer comodidade, porém é importante não deixar uma jornada sobrepor a outra. Organize sua rotina da semana, colocando todos os compromissos em dias e horários específicos. É importante também que você tenha um ambiente confortável para trabalhar, que mantenha o foco e consiga fazer uma coisa de cada vez. Não dá pra misturar trabalho com casa (e vice-versa) só porque existe essa liberdade.

Faça como muitas mães: aproveite o momento da licença-maternidade para descobrir seu propósito,
cuidar dos filhos e empreender.


Publicado por
Em 15 de maio de 2019

Escrever um comentário