Tudo o que você precisa saber para abrir seu MEI

Você está por dentro do que precisa para abrir sua micro empresa?

A categoria de MEI – Microempreendedor Individual foi criada por lei em 2008 e entrou em vigor no dia 1º de Julho de 2009. Hoje, dez anos depois é possível tirar o registro para sua micro empresa através do site Portal do Empreendedor.

Antes de iniciar a formalização você vai precisar do seu CPF, título de eleitor ou o recibo da última declaração do imposto de renda, caso tenha declarado nos últimos dois anos (não é necessário anexar nenhum deles no cadastro). Também irá ter em mãos o CEP de sua residência e do local onde exercerá sua atividade. Vale à pena conferir com a prefeitura da sua cidade para confirmar se sua atividade pode ser exercida no local escolhido. Por fim, seu número de celular ativo.

Você deverá ser claro sobre qual será sua função exercida. Caso não saiba se sua profissão é permitida, confira a lista de ocupações disponíveis para o cadastro do MEI, clicando aqui.

Atenção: Se você for sócio ou administrador de outra empresa você não poderá abrir MEI. Para quem trabalha com CLT – Consolidação das Leis do Trabalho é possível abrir MEI, porém no caso de servidores públicos é preciso confirmar se sua legislação permite.

Vale ainda considerar que quem recebe algum benefício previdenciário como salário-maternidade, auxílio-doença, auxílio-idoso, aposentadoria por invalidez, Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social, poderá ter o benefício cancelado ao fazer a formalização.

Agora é hora de se formalizar.

Ao formalizar sua empresa, você regulariza sua situação diante do Governo, como Junta Comercial, Receita Federal, Prefeitura e órgãos responsáveis por eventuais licenciamentos, quando necessários.

A formalização é gratuita e feita inteiramente pela internet. O CNPJ, a inscrição na Junta Comercial, no INSS e o Alvará Provisório de Funcionamento são feito de uma só vez com o documento chamado CCMEI – Certificado da Condição de Microempreendedor Individual. O processo é realmente muito prático, sem necessidade de assinaturas ou envio de documentos e cópias.

E depois de se regularizar?

Com o CNPJ do seu MEI aberto, você deverá contribuir mensalmente com R$ 49,90 ao INSS, mais R$ 5,00 para Prestadores de Serviço ou R$ 1,00 que seriam destinados ao Comércio e Indústria. O valor é pago com um boleto emitido no próprio Portal do Empreendedor. Com isso, você garante seu direito à aposentadoria, auxílio doença, licença maternidade, entre outros benefícios.


Publicado por
Em 25 de abril de 2019

Escrever um comentário

10 ideias para você empreender (mesmo com pouco dinheiro) em 2019

O ano está começando e para quem pensa em empreender em 2019 vale muita leitura, referências e ideias. Separamos 10 áreas que podem te inspirar para empreender, mesmo com pouco dinheiro:

1-Alimentício

Mesmo com pouco dinheiro é possível começar um negócio neste ramo preparando a comida em sua própria casa. Seja para comercializar marmitas, ou bolos e doces. As pessoas têm cada vez menos tempo para prepararem suas próprias comidas e valorizam tudo aquilo que é caseiro e claro, gostoso.

 2- Brechós

Não é de hoje que reaproveitar o antigo, ou o vintage, está em alta. Na crise, as pessoas procuram opções mais baratas e a reutilização de objetos e roupas é uma boa opção. Ainda mais com as redes sociais e internet, é possível abrir um canal de comunicação com pessoas que procuram artigos específicos em todo o país.

3- Consertos e reformas

Da mesma forma, já que as pessoas buscam economia, muitas optam por consertar ou reformar aquilo que já está velho ou antiquado. Além de ser mais sustentável, vale observar: você tem essa expertise, seja para conserto de móveis, eletrodomésticos, roupas etc? Aposte nela!

4- Setor de beleza e bem-estar

O mercado da beleza parece imune à crise e deve crescer ainda mais este ano. Por isso, opções como salão de beleza, cabeleireiro, barbearia, manicure, massagista, esteticista, entre outros, são boas opções para quem possui cursos ou experiência nessas áreas.

Além dos homens terem entrado cada vez mais no mundo dos cosméticos, a busca por opções mais sustentáveis de cosméticos é uma forte tendência para este ano. As pessoas querem comprar produtos que sejam bons para o corpo e gerem menos resíduos para a natureza.

5- Coworking

Está ai uma tendência que deve crescer ainda mais este ano. O desemprego e a procura por trabalhos em casa direcionam as pessoas a buscarem cada vez mais por espaços compartilhados, locais onde mais pessoas, de diversos setores, possam trabalhar em conjunto, os chamados coworkings. Procure se informar sobre esses tipos de espaço em sua cidade e saia na frente.

6- Microcervejarias

Pode parecer um mercado saturado, mesmo assim, a diversidade de aromas e sabores novos que podem ser criados ainda deixam essa área aberta para ser explorada.

7- E-commerce:

Se você quer vender seus produtos, sejam eles artesanais ou industrializados o comércio eletrônico pode ser uma boa opção. Seu cliente pode estar em qualquer lugar e em qualquer hora, sem a necessidade de um espaço físico. Lembre-se de colocar o valor do frete na composição dos preços.

8- Pets

Um dos negócios em alta é o ramo dos pets. Existe espaço para inovar e crescer já que cada vez mais famílias tem animais domésticos que são tratados como verdadeiros membros da família. Aposte na variedade de produtos ou serviços e procure se diferenciar do que já existe.

9-Produtos orgânicos

Os humanos também tem optado por opções de comida com menos agrotóxicos e mudanças genéticas, como comentamos em nosso texto Trocas saudáveis na alimentação. Para o empreendedor que tem afinidade com essa área deixamos também essa inspiração.

10- Serviços gerais

Pode parecer brincadeira, mas muitas pessoas estão sem tempo para atividades corriqueiras do dia a dia, para além de limpar a casa, ou levar o cachorro para passear, você pode montar um negócio para prestação de serviços de coisas simples como levar o carro para o mecânico ou lavar, organização de mudança, uma simples troca de lâmpada, etc.

Vale a pena refletir e pensar qual a ideia que tem mais a ver com você e suas habilidades. Como você pode conferir em nossas dicas do Celso, no texto Como empreender do zero.


Publicado por
Em 9 de janeiro de 2019

Escrever um comentário